[Resenha]: "Tudo o que Nunca Contei", de Celeste Ng





A trama de "Tudo o que Nunca Contei" é centrada em uma família sino-americana composta pelos pais James e Marilyn Lee e os filhos: Nath, Lydia e Hannah. Nos anos 1970, a família Lee mora na cidade de Ohio e sofre uma tragédia quando o corpo de Lydia, de 16 anos, é encontrado no fundo do lago local. 

À medida que os pais buscam explicações para a morte repentina da filha predileta, a dinâmica familiar vai sendo desvendada. Os Lee são aparentemente bem sucedidos. O pai é professor universitário e a mãe é ex-aluna de Harvard que abriu mão do sonho de ser médica para criar os três filhos. Mas eles nunca saem ou recebem visitas. Vivem isolados porque a comunidade não aceita o casal, pelo fato de Marilyn ser branca e James ser descendente de chineses. 

Como resultado, os pais projetam seus medos, aspirações e esperanças em seus filhos, particularmente em Lydia. Só que as crianças, por serem birraciais, também sofrem isolamento social, mas fingem normalidade para não decepcionar os pais. Logo percebemos que pais e filhos convivem mas não se conhecem e estão perdidos. A fatalidade expõe as fragilidades da unidade familiar dos Lee. 

O grande mérito da história criada por Celeste Ng, é mostrar o que acontece quando os pais veem os filhos como uma segunda oportunidade de realizar seus sonhos frustrados. Quando James e Marilyn transferiram para os filhos a responsabilidade de fazer o que eles queriam ter feito e de se tornarem o que eles queriam ter sido, criaram uma atmosfera de incompreensão e mágoas onde só deveria haver entendimento e amor. Gostei muito da leitura e recomendo!

Título nacional: Tudo o que Nunca Contei
Título original: Everything I Never Told You
Autora: Celeste Ng
Tradução: Julia Sobral Campos
Nº de Páginas: 239
Formato: eBook Kindle
Ano de lançamento no Brasil: 2017
Editora: Intrínseca
Gênero: Drama familiar

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito legal ter você aqui no nosso "News"!
Quer deixar um recadinho, comentário, sugestão?
Fique a vontade!
Bjs da Cris!