[Resenha]: "Tudo Que a Gente Sempre Quis", de Emily Giffin





Lyla Volpe, de 17 anos, uma bolsista de prestigiada escola particular, tem o mundo revirado quando uma fotografia sua, comprometedora, é divulgada na internet. Tal incidente tem causas, consequências e repercussões que vamos conhecer através das narrativas alternadas da  própria Lyla, de seu pai, Tom Volpe, e de Nina Browning, a mãe de Finch, um dos alunos participantes da festa onde a brincadeira cruel aconteceu.

O episódio deixa claro que meninos ricos aprontaram com a garota pobre, mas esta garota, na ânsia de ser aceita, deseja que todo o episódio seja minimizado e esquecido. No entanto, o pai dela, que luta sozinho para criá-la, quer justiça. Já Nina, não descarta a participação do filho e se choca com a certeza dele de que o dinheiro do pai o isentará de qualquer culpa. Nina fica convencida de que o marido alimentou o comportamento amoral no filho e começa a questionar  o seu casamento.

A história é extremamente bem escrita e me atraiu imediatamente, principalmente porque há um certo mistério sobre quem realmente tirou a foto. Além disso, a trama aborda temas importantes e oportunos, como: racismo, desigualdade social, corrupção, abuso sexual, discriminação de gênero e mau uso das mídias sociais.  Recomendadíssimo!


Título nacional: Tudo que a Gente Sempre Quis
Título original: All We Ever Wanted
Autor: Emily Giffin
Tradução: Marcelo Mendes
Nº de Páginas: 305
Formato: eBook Kindle
Ano de lançamento no Brasil: 2019
Editora: Arqueiro
Gênero: Romance


Outros livros de Emily Giffin que eu li e resenhei:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito legal ter você por aqui!
Quer deixar um recadinho, comentário, sugestão?
Fique à vontade!
Bjs da Cris!