[Resenha] "Eu Conheço a Verdade", de Wally Lamb




Título nacional: Eu Conheço a Verdade

Título original: I Know This Much Is True

Autor: Wally Lamb

Tradução: Celina Cavalcante Falck

Nº de Páginas: 784

Ano de lançamento no Brasil: 2002

Editora: Record

Gênero: romance norte-americano




Filho de uma mulher tímida e subjugada, enteado de um homem violento e gêmeo idêntico de um esquizofrênico, Dominick Birdsey é o protagonista e o narrador de “Eu Conheço a Verdade”, de Wally Lamb. A história começa em 1990, quando os gêmeos têm 40 anos. O irmão de Dominick, Thomas, que possui uma estranha obsessão por formas alienígenas, comunismo, Deus e conspirações, tem um surto dentro de uma biblioteca pública e corta fora a própria mão, acreditando que esse sacrifício impedirá, de alguma forma, a Guerra do Golfo entre o Iraque e forças da Coalizão internacional, liderada pelos Estados Unidos.

A partir daí, pela voz de Dominick, vamos conhecer a história da família, passando pela infância dos gêmeos; o tratamento abusivo e violento do padrasto, principalmente com Thomas; o início da doença de Thomas aos 19 anos; as tentativas vãs de Dominick, para fazer a mãe dizer o nome do seu pai biológico; o seu ressentimento ao perceber o favoritismo da mãe por Thomas; o fardo e o dever de cuidar do seu gêmeo, promessa feita à mãe no seu leito de morte. Logo fica claro que Dominick ama o irmão e tenta  protegê-lo de si mesmo e dos outros, mas, na mesma medida, o odeia e sente vergonha dele. A vida inteira de Dominick ficou comprometida pela existência do irmão problemático. Para sobreviver a culpa que resulta dessas emoções conflitantes, o gêmeo sadio desenvolveu um sarcasmo pessimista que é tanto sua arma como seu escudo.

Dominick é um homem que luta pela sobrevivência e sofre, não só com a doença do irmão, mas também com o fim do seu casamento, a morte prematura da sua filhinha e o abandono da carreira de professor. Carregado de culpa e frustrações, ele se sabota emocionalmente, escondendo sentimentos e controlando emoções. E isso quase o destrói. À medida que a história avança, pessoas e acontecimentos surgem em seu caminho e o desafiam a enfrentar a dor do passado, os segredos sombrios que trancou dentro de si mesmo e os pecados de seus ancestrais. A descoberta da autobiografia do avô materno (que rende uma história dentro da história), juntamente com o aconselhamento da psicóloga de seu irmão, finalmente o levam a fazer as pazes consigo mesmo e com a história de sua família.

Tendo os Estados Unidos da segunda metade do século XX como cenário, “Eu Conheço a Verdade” é uma saga familiar épica que, além de abordar temas como imigração, violência doméstica, bullying, religião e relações inter-raciais, analisa profundamente  a esquizofrenia do tipo paranoica, nos dando uma visão tanto de dentro da mente deteriorada de Thomas, quanto de fora, ao descrever as lutas de Dominick para tentar salvar e proteger o irmão da doença. Mostra, ainda, como a doença mental é capaz de afetar tanto o indivíduo que sofre com ela, quanto aqueles que estão ao seu redor.

"Eu Conheço a Verdade" é uma experiência de leitura única e inesquecível. Uma história de sobrevivência, perdão e redenção. Gostei tanto do livro, que nem senti as suas quase 800 páginas, que passaram por mim voando. Recomendo!

P.S.: A história deste livro será transformada em uma minissérie de oito episódios para a HBO, estrelada e  produzida pelo ator  Mark Ruffalo. O próprio Wally Lamb fez o anúncio em sua página no Facebook.


Minha avaliação


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito legal ter você aqui no nosso "News"!
Quer deixar um recadinho, comentário, sugestão?
Fique a vontade!
Bjs da Cris!