[Resenha] "Os Meninos Que Enganavam Nazistas", de Joseph Joffo



Título nacional: Os Meninos Que Enganavam Nazistas

Título original: Un Sac de Billes

Autor: Joseph Joffo

Tradutor: Fernando Scheibe

Nº de Páginas:  277

Ano de lançamento no Brasil: 2017

Editora: Vestígio

Gênero: Memórias autobiográficas





"Os Meninos Que Enganavam Nazistas" é a história real, autobiográfica de Joseph Joffo, um judeu francês que, em 1941, aos 10 anos, recebeu do pai dinheiro para fugir de Paris, ocupada pelos nazistas, acompanhado de seu irmão Maurice, de 12 anos. O objetivo era que as crianças encontrassem os irmãos mais velhos, Henri e Albert, que já tinham fugido para Nice, no Sul, onde a França estava livre. Em 1940, o governo francês assinou um acordo com os alemães, que dividiu a França em duas: a zona ocupada pelos nazistas (ao norte) e a zona não ocupada (ao sul), equivalente a dois quintos do país, governada pelos franceses e com a capital na cidade de Vichy.

Instruídos pelo pai a não revelar a ninguém que eram judeus, Joseph e Maurice andaram sozinhos por trens, ônibus e estradas, rumo ao sul, e tiveram a sorte de contar com a generosidade de muitas pessoas que os ajudaram pelo caminho. Mas também viveram experiências aterrorizantes ao tentar escapar dos alemães e da ida iminente para um campo de concentração. Graças a inteligência e muita coragem conseguiram enganar não só os soldados alemães, mas também os colaboracionistas franceses que apoiavam a ocupação. 

É impossível não se emocionar com a luta dos meninos pela sobrevivência, depois que tiveram a infância interrompida por causa da insanidade de Hitler. Corta o coração ver a perplexidade do Joseph por ter que deixar os pais, a escola e as brincadeiras com os amigos pelo simples fato de ser  judeu. Ele nem compreendia exatamente o que significava "ser judeu"! Muito menos entendia o motivo de tanto ódio, mas sabia que estava em perigo e que precisava chegar na zona não militarizada da França. Algumas passagens da aventura dos irmãos são tristes e difíceis, mas a determinação, o instinto de sobrevivência e um bocado de sorte, os protegeu, e os ajudou a atravessar o período mais sombrio de suas vidas. 

Além de comover ao registrar as dificuldades vividas pela família Joffo, "Os Meninos Que Enganavam Nazistas", provoca empatia e profunda reflexão sobre os horrores da Segunda Guerra, ao colocar a narrativa sob o olhar de uma criança. Me encantei, chorei e torci horrores pelos dois irmãos. Eu não consegui me desgrudar do livro!

O escritor francês Joseph Joffo, hoje, aos 86 anos.

Avaliação



O livro de Joffo já tinha sido adaptado para o cinema em 1975, pelo diretor francês Jacques Doillon. Em agosto deste ano  um remake chegou às telenas, dirigido pelo canadense Christian Duguay e, segundo as críticas, desta vez a trama é mais fiel ao livro.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito legal ter você aqui no nosso "News"!
Quer deixar um recadinho, comentário, sugestão?
Fique a vontade!
Bjs da Cris!