[Resenha] "A Lista Negra", de Jennifer Brown



Título nacional: A Lista Negra

Título original: Hate List

Autora: Jennifer Brown

Tradutor: Claudio Blanc

Nº de Páginas: 329

Ano de lançamento no Brasil: 2014

Editora: Gutenberg

Gênero: romance norte-americano






Muito aborrecida com as provocações, os apelidos e os comentários depreciativos que recebia na escola, e também com a crise pela qual passava o casamento dos seus pais, Valerie Leftman resolveu escrever em um caderno os nomes de quem não gostava. Assim, surgiu a "Lista Negra". Era uma forma de descarregar a frustração. Uma brincadeira. Quando ela começou a namorar Neil Levil, que também sofria bullying e era hostilizado na escola, dividiu a lista com ele que, da mesma forma, começou a anotar ali os nomes daqueles que odiava. A lista, com os nomes dos estudantes que praticavam bullying contra eles, os aproximava e unia ainda mais.

Enquanto para Val a lista era uma estratégia, uma espécie de válvula de escape, para Nick ela era a melhor expressão do seu ódio e despertava nele um fascínio cada vez maior. Mesmo o amando muito e passando muitas horas do dia em sua companhia, Val não desconfiou das reais intenções do namorado: se matar, depois de matar os alunos da lista. E foi o que aconteceu! O tiroteio promovido por Nick, ocorreu na escola numa manhã, quando as pessoas estavam se preparando para a primeira aula. Alguns alunos e um professor foram mortos à queima roupa, e muitas outras pessoas ficaram feridas, inclusive Valerie.

O ponto de partida de "A Lista Negra", de Jennifer Brown, é o tiroteio, mas a história foca nas suas consequências, em como as pessoas envolvidas vão conviver e superar isso. Cinco meses depois da tragédia, ainda se recuperando do ferimento físico e do trauma, Val enfrenta uma dura realidade ao voltar para a escola para terminar o Ensino Médio, pois há quem diga que ela estava envolvida no plano de Nick. Como ela vai lidar com a rejeição e a desconfiança das pessoas da escola, da família e da polícia? Como ela vai lidar com a sua própria culpa? Afinal, a lista negra foi ideia dela! Ela nunca pensou em matar alguém, no entanto Nick a via como uma cúmplice voluntária. Como pode se enganar tanto com ele? Ela achava que o conhecia, mas não percebeu o quanto ele estava abalado psicologicamente. Ficou a lição: o coração do outro é local insondável, que guarda surpresas e esconde segredos, pois cada um lida de um jeito com seus sentimentos, com suas dores.

Com a ajuda de um terapeuta, Val busca entender o seu real papel na história. Para poder curar o trauma e seguir em frente, ela vai reexaminar o seu relacionamento com Nick, sem negligenciar as vítimas ou justificá-lo, e aprender que quando se trata de bullying, tanto o ofendido quanto o agressor, são vítimas. Vai entender ainda, que a ideia de vingança e de suicídio pode resultar desse tipo de violência, podendo levar a vítima a entrar armada na escola, matar e matar-se, dando fim ao sofrimento, como aconteceu com Nick.

"A Lista Negra" é um livro que deveria ser lido por todos, pois trata de um assunto recorrente e extremamente grave. As consequências do bullying podem marcar profundamente uma pessoa, impossibilitando-a de ser feliz. A prevenção é e sempre foi a melhor forma de combater esta prática. É preciso que a agressão seja evitada, para que o agredido de hoje não se transforme no agressor de amanhã, gerando um ciclo constante entre agressor e agredido.

Gostei e recomendo!

Avaliação


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito legal ter você aqui no nosso "News"!
Quer deixar um recadinho, comentário, sugestão?
Fique a vontade!
Bjs da Cris!