[Resenha] "Provocante", de Madeline Hunter



Em “Provocante”, de Madeline Hunter, acompanhamos a história de Grayson Bridlington, o Conde de Hawkeswell, e Verity Thompson. Verity era herdeira de grande fortuna proveniente de uma fábrica de fundição de ferro fundada por seu pai, na primeira fase da Revolução Industrial. Depois que o pai faleceu, a tutela de Verity passou a ser exercida por um primo ambicioso que, por ansiar ascender socialmente, arranjou o casamento dela com Hawkeswell, um nobre falido. Verity não queria se casar, mas acabou aceitando o compromisso em troca da promessa do primo de proteger uma família humilde, muito querida por ela. Mas, quando descobriu que o primo não estava cumprindo o prometido, fugiu do marido logo após a cerimônia nupcial.

Sem ter consumado a união, Hawkeswell se viu impedido de tomar posse do dote da esposa, o que aprofundou ainda mais sua penúria financeira. Depois de dois anos de incertezas, o destino resolveu dar uma ajudazinha e durante um passeio bucólico, o conde esbarrou na esposa fujona. Já tendo alcançado a maioridade, ela avisa ao marido que vai pedir a anulação do casamento. Mas o Conde tem outros planos: ele deseja  seduzir Verity e torná-la sua esposa de fato.  Para tanto, exige dela três beijos diários. E de beijo em beijo eles vão percorrer um longo caminho de reconhecimento e aceitação.

A princípio cheguei a achar que o conde não conseguiria atingir o objetivo, porque mesmo havendo uma forte atração sexual, a falta de empatia e de confiança era evidente no casal. E para piorar, o jogo de sedução iniciado pelo conde acabou se revelando uma “arma” nas mãos da condessa, que passou a usar o sexo para conseguir o que queria do marido. Além disso, a fixação de Verity em saber o paradeiro de um homem da sua terra natal, não fazia nada bem a relação. A união improvável e o lento despertar do amor entre Verity e Hawkeswell foram magistralmente trabalhados por Madeline Hunter, na medida em que ela proveu o conde de paciência, tolerância e altruísmo necessários para quebrar a resistência da esposa, dando-lhe inclusive liberdade para voar sem, no entanto, deixar de oferecer a ela doces razões para voltar e ficar.

Para concluir, destaco dois pontos positivos da trama: o forte laço de amizade entre as mulheres que povoam a história e a abordagem das lutas que caracterizaram o início da Revolução Industrial, entre os operários e os proprietários das fábricas. Como ponto negativo, aponto o uso de algumas palavras e expressões complicadas demais (precisei acessar o dicionário várias vezes), que só serviram para quebrar o clima romântico de algumas cenas, principalmente as mais sensuais.

Livro: Provocante 
Série: As Flores Mais Raras #2
Título original: Provocative in Pearls
Autor: Madeline Hunter
Tradução: Ana Sofia Pereira
Páginas: 400
Formato: eBook Kindle
Ano de lançamento no Brasil: 2014
Editora: LeYa
Categoria: Ficção Americana / Romance de Época

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito legal ter você aqui no nosso "News"!
Quer deixar um recadinho, comentário, sugestão?
Fique a vontade!
Bjs da Cris!