Tranquilidade...


Esqueci a tal exatidão. 
Dar nome aos bois, colocar os pingos nos "is", bater de frente. 
Tirei férias disso tudo. 
Se algum desaforo bater à minha porta, não atendo. 
Canto ciranda, enfeito minhas tranças, converso com a esperança.
Perdi minha mala carregada de ressentimentos na estrada do sossego.
Mudei a rota, arranquei as portas que aprisionavam meu sorriso.
Me perdi do tempo. 
Me encontrei em mim.

Renata Fagundes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito legal ter você aqui no nosso "News"!
Quer deixar um recadinho, comentário, sugestão?
Fique a vontade!
Bjs da Cris!