Eu li: "O Pintassilgo"


"O Pintassilgo", da escritora Dona Tartt, ganhou o prêmio Pulitzer de ficção 2014, por ser "um livro que estimula a mente e toca o coração".  

Tudo começa quando Theo Decker, um garoto de 13 anos, vai com a mãe, Audrey, a um museu em Nova York. Há a explosão de uma bomba em decorrência a um atentado terrorista, e Audrey morre. Theo escapa dos escombros carregando um pequeno quadro, "O Pintassilgo", pintado pelo holandês Carel Fabritius, em 1654.

Aqui, vale revelar que a tela realmente existe (ao lado) e, segundo a Revista Veja, quem agradece a inclusão de O Pintassilgo no livro é o Museu Mauritshuis, em Haia, na Holanda. Reaberto depois de uma reforma, o museu trocou O Pintassilgo de lugar, de uma parede lateral em uma escadaria para uma sala com mais destaque. O seu autor, Fabritius, foi discípulo de Rembrandt e esse quadro é um dos únicos que sobreviveram ao incêndio em 1654 que pôs fim à vida do pintor aos 32 anos. Graças a Donna Tartt, os holofotes recaíram sobre O Pintassilgo.  

Mas voltando ao livro... depois do atentado, sem ter um parente próximo que o acolhesse de imediato, Theo foi morar com os Barbours, a rica família de Andy, seu amigo de escola. No luxuoso apartamento o menino sente-se  cada vez mais desnorteado pela ausência da mãe e atormentado pela certeza de que deve devolver o quadro, mas  não tem coragem para tanto porque imagina que será castigado. 

Como sua mãe apreciava demais O Pintassilgo, Theo resolveu proteger e cuidar daquela obra de arte na tentativa de manter viva sua conexão com ela.

Um tempo mais tarde, seu pai, um jogador alcoólatra, reaparece e o leva para morar em Las Vegas. O quadro vai junto, bem escondido. Após a morte do pai, Theo volta para Nova York. No fim da história, ele está em Amsterdã, o que mostra a maneira acelerada e aventureira da narrativa. Mas, isso não me impediu de quase abandonar a leitura.

Durante a história Theo faz péssimas escolhas, como por exemplo: ter como melhor amigo um trombadinha, decidir não devolver o quadro, consumir drogas como se não houvesse amanhã, se envolver no submundo das artes... Como é que pode uma autora ser tão má com seu protagonista? Juro que até pensei em abandonar o tijolo, digo, o livro (mais de 700 páginas!!). Mas a curiosidade de saber o destino de Theo Decker e do quadro foi maior. 

Enfim, "O Pintassilgo" não é uma leitura fácil, é grande demais, tem detalhes demais, palavras demais, mas tem a seu favor a qualidade de não ser maçante.

Livro: O Pintassilgo
Título original: The Goldfinch
Autor: Donna Tartt
Tradução: Sara Grunhagen
Páginas: 721
Ano de lançamento no Brasil: 2014
Editora: Companhia das Letras
Categoria:  Literatura Estrangeira - Romance
Preço: R$ 28,00 (Livraria Saraiva, em 03/02/2015)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito legal ter você aqui no nosso "News"!
Quer deixar um recadinho, comentário, sugestão?
Fique a vontade!
Bjs da Cris!