Eu li: "A Casa do Céu"


Antes de mais nada eu preciso dizer que "A Casa do Céu" é, sem sombra de dúvidas, o mais valente e angustiante livro de memórias que eu já li.

Quando criança, a canadense Amanda Lindhout escapava do lar violento em que vivia, folheando as páginas da revista National Geografic e imaginando-se em lugares exóticos do mundo. Aos 19 anos, começou a trabalhar como garçonete e economizar o dinheiro das gorjetas para viajar pelo mundo. Quando o dinheiro acabava, retornava ao Canadá para juntar mais. Assim, ela viajou como mochileira pela América Latina, Laos, Bangladesh, Índia, Sudão, Síria e Paquistão. Também foi a países castigados pela guerra, como o Afeganistão e o Iraque, onde iniciou uma carreira como repórter de televisão.

Em agosto de 2008, num misto de ingenuidade, curiosidade e imprudência, ela viajou para a Somália, um país que vive em guerra civil há mais de 20 anos. A região possui um governo inexperiente e impotente para conter a violência promovida por facções de militantes islâmicos. Amanda chegou ao país junto com o fotógrafo e ex-namorado Nigel Brennan, sem seguro de vida e sem identificação formal de jornalista, mas com uma vã confiança de que ficaria bem.

Quatro dias após o desembarque em Mogadíscio, capital da Somália, Amanda e Nigel foram sequestrados por uma  milícia islâmica de orientação radical, e mantidos como reféns por 15 meses. No cativeiro eles eram vigiados por soldados adolescentes extremamente imaturos e cruéis. Amanda, por ser mulher, sofreu mais: foi espancada, torturada e estuprada.

No entanto, a fé, a coragem e a esperança de Amanda salvaram sua vida, pois não deixaram que ela esmorecesse nem mesmo quando todas as boas razões para continuar vivendo haviam desaparecido. Quando o sofrimento era grande demais, sua mente lhe permitia ser transportada para a linda, ampla, iluminada e reconfortante casa do céu. E, assim, aconchegada aos seus, ela sobrevivia.

Meses depois de ser libertada, Amanda Lindhout  criou a Fundação para o Enriquecimento Global (globalenrichmentfoundation.com), uma organização sem fins lucrativos que apoia iniciativas para o desenvolvimento, ajuda humanitária e educação na Somália e no Quênia. O gesto mostra que o perdão e a compaixão são milagrosamente possíveis, mesmo após um trauma inimaginável.

Recomendo a leitura e desejo do fundo do meu coração que Amanda tenha, até o fim de seus dias, uma vida repleta de paz e alegria para que possa superar todo o abuso, todo o preconceito e toda a desumanidade que sofreu.

Livro: A Casa do Céu
Título original: A House In The Sky
Autor: Amanda Lindhout e Sara Corbett
Tradução: Ivar Panazzolo 
Páginas: 445
Ano de lançamento: 2013 
Editora: Novo Conceito
Categoria:  Literatura Estrangeira / Biografias e Memórias 
Preço: R$ 27,90 (Livraria Saraiva, em 03/03/2014)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito legal ter você aqui no nosso "News"!
Quer deixar um recadinho, comentário, sugestão?
Fique a vontade!
Bjs da Cris!